Ir para o conteúdo principal
Ciclo de conferências “Visões da Guerra e das Independências (1961-1975)
Resenha histórica Enquadramento Legal Estrutura Protocolos Atividades Publicações Biblioteca Contactos Voltar

​​​​​​13.jpg​​​

Carregue AQ​​UI​​​​​​​​​​ ​para aceder à sessão  ZOOM.


Ciclo de conferências “Visões do Tempo da Guerra e das Independências (1961-1975)"


1. Objetivos

O ciclo de conferências intitulado “Visões do Tempo da Guerra e das Independências (1961-1975)", terá lugar entre abril de 2022 e novembro de 2025, é coordenado pelo Coronel Aniceto Afonso e pelo Mestre João Moreira Tavares e tem como principais objetivos:

  • a reflexão sobre a Guerra e as Independências dos países africanos, por parte de conferencistas convidados, nacionais e estrangeiros;
  • a publicação dos textos relativos às conferências;
  • a gravação online e o arquivo das diferentes conferências para memória futura.

2. Metodologia

  • As conferências terão lugar pelas 14h30, da primeira ou da segunda terça-feira de cada mês (escolha em função da disponibilidade de agenda da CPHM).  
  • ​As conferências sobre o tema geral (à escolha do conferencista), terão entre 30 a 45 minutos. O conferencista será apresentado por um moderador (membro do CC da CPHM), que no final fará um pequeno comentário e colocará algumas questões complementares (não há lugar a questões/intervenções da parte do público – presente ou por zoom).
  • -​Vai ser privilegiada a opção presencial (no Palácio da Independência ou no caso de impossibilidade devido a obras, na Academia Portuguesa da História), sendo assegurada, em simultâneo, uma cobertura online, via Zoom. Em determinadas situações poderá ter lugar exclusivamente via Zoom (com conferencistas estrangeiros, ou com nacionais que não possam deslocar-se à CPHM). A título excecional, o presencial poderá ter lugar fora das instalações da CPHM, e nessa situação será solicitado apoio para o efeito a uma instituição.

3. Conferêncistas

Os conferencistas, nacionais e estrangeiros, poderão ser militares, antigos combatentes, professores, jornalistas, eclesiásticos, diplomatas, políticos ou outras personalidades, que tenham obra publicada ou conhecimento reconhecido sobre a temática. As conferências com os antigos combatentes, poderão ser gravadas como história oral e arquivadas (com autorização dos autores).

 

As conferências serão divulgadas ao público em geral, com cerca de quinze dias de antecedência. 


​​​​

Partilhar
Conteúdo