Ministro da Defesa Nacional quer “questões ambientais como prioridades da Defesa” na entrega do 25.º Prémio Defesa Nacional e Ambiente

16 de julho de 2019

O Ministro João Gomes Cravinho desafia as “Academias, o Instituto Universitário Militar e o Instituto da Defesa Nacional, entre outros, a que estas questões sejam abraçadas “como prioridades da Defesa"

Portal da Defesa na InternetInícioComunicaçãoNotíciasMinistro da Defesa Nacional quer “questões ambientais como prioridades da Defesa” na entrega do 25.º Prémio Defesa Nacional e Ambiente

O Ministro João Gomes Cravinho desafia as “Academias, o Instituto Universitário Militar e o Instituto da Defesa Nacional, entre outros, a que estas questões sejam abraçadas “como prioridades da Defesa, como uma variável nova mas incontornável para a segurança nacional e, por isso, uma questão estratégica de defesa e de soberania nacional”.

O Ministro da Defesa falava na cerimónia de celebração dos 25 anos do Prémio Defesa Nacional e Ambiente (PDNA) e de entrega do prémio à Brigada Mecanizada do Campo Militar de Santa Margarida. Para o Ministro da Defesa Nacional, pensar em questões ambientais em 1993, quando o Prémio foi instituído, não era certamente “uma abordagem óbvia e não era sequer consensual”, mas o sucesso deste prémio abriu caminho à “criação do Prémio Anual Defesa Nacional e Igualdade”, que será atribuído pela primeira vez no próximo ano. Na cerimónia, que contou também com a presença do Ministro do Ambiente e da Transição Energética, João Pedro Matos Fernandes, “numa longa e frutífera parceria entre estas duas áreas governativas”, o Ministro João Gomes Cravinho defendeu que “tornar as questões ambientais transversais à Defesa é uma necessidade e uma oportunidade”, destacando o trabalho que está a ser feito pelo Ministério da Defesa Nacional para rever a Diretiva Ambiental da Defesa de 2011 e na criação do Plano Setorial da Defesa em Matéria de Ambiente.

“A entrega de mais um Prémio da Defesa Nacional e Ambiente é a nossa reconhecida homenagem a todas as mulheres e homens que, na sua ação diária, se dedicam a tornar a Defesa menos impactante no ecossistema e energeticamente mais eficiente e sustentável”, afirmou hoje o Ministro da Defesa Nacional, João Gomes Cravinho, na entrega do 25.º Prémio Defesa Nacional e Ambiente à Brigada Mecanizada (BrigMec).

O sistema integrado de gestão ambiental da BrigMec, que inclui uma componente agroflorestal e energética, permite - como os dois Ministros puderam observar após a cerimónia de entrega do Prémio - que as águas resultantes das lavagens das várias viaturas de combate Leopard A26 sejam filtradas através de separadores de hidrocarbonetos, permitindo adequada separação e tratamento de óleos, águas contaminadas e areias.

Falando aos jornalistas, à margem da cerimónia, o Ministro da Defesa Nacional afirmou que muitas vezes talvez por falta de publicitação, as pessoas desconhecem aquilo que as Forças Armadas fazem em termos de preservação do ambiente, mas lembrou que “as preocupações ambientais e energéticas já existem há muito tempo e um prémio como este ajuda a conhecer a atividade das Forças Armadas a esse nível”.

Esta é a quarta vez que a Brigada Mecanizada de Santa Margarida é galardoada com este prémio, que se traduz num “incentivo a que os diferentes agentes da Defesa sejam inovadores nesta área”, acrescentou João Gomes Cravinho. Olhando para o histórico de premiados e para as candidaturas que têm sido apresentadas, é notório que este objetivo “tem sido plenamente cumprido”, destacou o Ministro da Defesa Nacional, destacando como exemplo a certificação energética internacional, pioneira no espaço europeu, que foi atribuída à Base Aérea nº5 em Monte Real e à Estação de Radar nº2, em Paços de Ferreira.

O Prémio Defesa Nacional e Ambiente distingue, anualmente, a unidade, estabelecimento ou órgão que, de acordo com os princípios da Defesa Nacional, melhor contributo preste para a qualidade do ambiente, numa perspetiva de desenvolvimento sustentável, através da utilização eficiente dos recursos naturais, da promoção de boas práticas de gestão de ordenamento do território, da proteção e valorização do património natural e paisagístico e da biodiversidade.

Partilhar

Conteúdo