Ir para o conteúdo principal

Portal da Defesa na Internet
Ministro da Defesa Nacional na Abertura do AED Days 2019

28 de outubro de 2019

A 6.ª edição do AED Days decorreu de 28 a 30 de outubro em Oeiras.

Portal da Defesa na InternetInícioComunicaçãoNotíciasMinistro da Defesa Nacional na Abertura do AED Days 2019

​O ministro da Defesa Nacional, João Gomes Cravinho, destacou a importância da indústria aeronáutica, espacial e da defesa para o desenvolvimento económico e posicionamento estratégico de Portugal, no arranque da 6.ª edição do AED Days, um evento que junta anualmente várias empresas do setor e que este ano decorreu entre 28 e 30 de outubro, no Tagus Park, em Oeiras.

No primeiro dia do encontro empresarial, o ministro da Defesa Nacional, referiu-se ao Cluster Aeronáutico, Espacial e da Defesa, como “um exemplo a seguir noutras áreas”, sublinhando o seu “peso crescente na economia nacional”.

João Gomes Cravinho reconheceu o contributo do setor para as exportações portuguesas e promoção da inovação, bem como o potencial para “a retenção de quadros altamente qualificados”, matéria que o Ministro elege como um dos desafios para os próximos tempos.“É um setor que precisa de ser reforçado com mais quadros e aí temos um desafio no plano nacional, que diz respeito à qualificação dos nossos jovens. Atendendo à rapidez da expansão deste setor, é difícil que o mercado laboral acompanhe esse ritmo. Temos de fazer o que for possível para dar uma especial atenção a essa problemática”, afirmou o ministro.  

Em pleno início da legislatura, Gomes Cravinho assegurou que a “promoção da cooperação entre agentes e setores complementares, onde se potencie a inovação, tecnologia e criação de valor”, continua a ser uma prioridade para o Governo e, em particular, para o ministro da Defesa Nacional, reconduzido no novo Executivo.

João Gomes Cravinho considera também que é fundamental continuar a “aprofundar as relações com outras áreas governativas”, como Economia, Ciência, Negócios Estrangeiros, Finanças, “para que as oportunidades sejam plenamente aproveitadas e potenciadas e o Governo tenha um papel dinamizador na integração portuguesa na Defesa Europeia”, potenciando “amplos dividendos para a economia e sociedade”.

O ministro afirmou ainda que “o Governo consolidou o papel do Estado na gestão das participações púbicas no setor da Defesa” e tem apostado no fomento da “participação nacional em programas conjuntos”, promovendo a “internacionalização da economia da Defesa e facilitando a interação entre os principais stakeholders nestes processos, quer públicos, quer privados”.

A nível internacional, o ministro da Defesa Nacional destaca a importância da promoção de parcerias entre diversas entidades para potencial a afirmação e desenvolvimento das empresas e equipamentos portugueses no plano europeu. “A criação de relações de cooperação internacional é muitíssimo importante para as empresas portuguesas, sobretudo pelo trabalho em rede. Seja com centros de investigação, seja com mecanismos de distribuição comercial ou através da integração com congéneres que trabalham noutros países”, referiu João Gomes Cravinho”. 

O ministro advertiu ainda que, em contexto de competição direta com muitos Estados europeus, é preciso “saber criar as pontes e mecanismos de cooperação com alguns desses países ou empresas para que a nossa economia seja também beneficiária de um plano europeu que está a evoluir muito rapidamente, com a criação de um Fundo Europeu para a Defesa, ou a criação de uma nova Direção-Geral dedicada à Defesa e ao Espaço”.

João Gomes Cravinho garantiu ao Cluster Aeronáutico, Espacial e da Defesa que o Governo “está muitíssimo atento, por considerar que estamos num momento de transformação e que as iniciativas que surgem do tecido empresarial português precisam de ter apoio e interesse por parte do Estado”. Nesse sentido, Gomes Cravinho diz que o Executivo “está disponível para dialogar, por compreender plenamente a enorme mais-valia que este setor traz para a economia portuguesa e o grande potencial que esta área tem para crescer”.​​

Partilhar

Conteúdo