Ir para o conteúdo principal

Ministro João Gomes Cravinho na 1ª edição das Jornadas da Defesa Nacional sobre o Espaço

A sessão de abertura ficou marcada pela apresentação das linhas orientadoras da Estratégia da Defesa Nacional para o Espaço 2020-2030

Portal da Defesa na InternetInícioComunicaçãoNotíciasMinistro João Gomes Cravinho na 1ª edição das Jornadas da Defesa Nacional sobre o Espaço
26 de outubro de 2021

​O Ministro João Gomes Cravinho abriu esta terça-feira, no Forte de São Julião da Barra, em Oeiras, a 1ª edição das Jornadas da Defesa Nacional sobre o Espaço, evento que junta ao longo de dois dias várias entidades nacionais e internacionais, tendo em vista o debate e reflexão sobre o papel da Defesa nos desafios que se colocam no domínio do Espaço. 

A sessão de abertura ficou marcada pela apresentação das linhas orientadoras da Estratégia​ da Defesa Nacional para o Espaço 2020-2030, um instrumento que João Gomes Cravinho considera “importante para a capacidade das Forças Armadas Portuguesas no cumprimento das suas missões e para a construção de uma indústria de defesa mais forte em Portugal". 

Para o Ministro da Defesa Nacional, esta Estratégia irá também contribuir para a resiliência na resposta a emergências civis complexas resultantes de eventos meteorológicos extremos no contexto das alterações climáticas. 

“As Forças Armadas portuguesas desempenham um papel fundamental no apoio às autoridades civis na proteção das populações dos impactos desagregadores deste tipo de emergências e na proteção de infraestruturas críticas", afirmou João Gomes Cravinho, acrescentando que as tecnologias espaciais “são um investimento estratégico ao serviço da proteção civil e da segurança e defesa nacional". 

O documento orientador prioriza o Espaço e o recurso às tecnologias associadas para potenciar a autonomia da atuação das Forças Armadas na defesa da soberania. João Gomes Cravinho destacou o interesse estratégico de Portugal, no âmbito da jurisdição sobre uma vasta área do Atlântico, que é necessário proteger de atividades criminosas ilícitas, através da vigilância e controlo, com uma abordagem multifacetada de defesa. 

Estabelece também a importância do acompanhamento e participação ativa das atividades ligadas ao Espaço, desenvolvidas pelas diversas organizações de que Portugal faz parte, tais como a União Europeia ou a NATO, procurando sinergias e financiamento, reforçando o posicionamento do setor empresarial e científico nacional e identificando novas oportunidades. 

Para o Ministro da Defesa Nacional, o desenvolvimento de novos projetos nas áreas relacionadas com sistemas espaciais e tecnologias espaciais contribuirá para a criação de empregos qualificados, para fomentar a investigação, o desenvolvimento e a inovação e para desenvolver novas competências nacionais. “Isto será crítico não só para o cluster da economia da defesa, mas também para a recuperação e crescimento pós-pandémico das economias portuguesa e europeia", referiu João Gomes Cravinho. 

A Estratégia da Defesa Nacional para o Espaço para os próximos 10 anos​ foi elaborada por um grupo de trabalho que envolveu o Ministério da Defesa Nacional, Estado-Maior-General das Forças Armadas, Marinha, Exército, Força Aérea, Autoridade Aeronáutica Nacional, IdD – Portugal Defence, Instituto da Defesa Nacional, Gabinete Nacional de Segurança e Agência Espacial Portuguesa. 

​​Galeria de imagens

​​​

Partilhar
Conteúdo