Ir para o conteúdo principal

Militares da Marinha regressam da Lituânia

Regressaram este sábado, 28 de setembro, a Portugal, 146 militares da Marinha que estiveram em missão de reforço da presença de forças aliadas na Lituânia

Portal da Defesa na InternetInícioComunicaçãoNotíciasMilitares da Marinha regressam da Lituânia
30 de setembro de 2019

 

​Regressaram este sábado, 28 de setembro, a Portugal, 146 militares da Marinha que estiveram em missão de reforço da presença de forças aliadas na Lituânia, no âmbito das medidas de tranquilização da NATO (Assurance Measures), durante cerca de três meses.
A Secretária de Estado da Defesa Nacional, Ana Santos Pinto, recebeu a Força Nacional Destacada, numa cerimónia em que realçou o âmbito alargado de missões, em cenários “muito diferentes e complexos”, desempenhadas pelos Fuzileiros, “com uma prontidão permanente e um treino bastante exigente e personalizado”.
“Portugal conhece, e reconhece, a vossa capacidade de ação e a vossa mais-valia”, sublinhou Ana Santos Pinto, que falava no aeródromo de Figo Maduro, antes de cumprimentar os 140 Fuzileiros e os 6 mergulhadores-sapadores que estiveram na base Grand Duke Butigeidis Battalion, em Klaipeda, desde 1 de julho, sob o comando do Capitão-Tenente Pereira da Silva.
A Força Nacional Destacada desenvolveu um programa de atividades que incluiu exercícios de operações anfíbias, exercícios de defesa contra forças convencionais e irregulares e exercícios de operações especiais, durante os quais a unidade de Operações Especiais alcançou o nível 2 de certificação para integrar uma Força Combinada NATO, que permanecerá em elevada prontidão durante o ano de 2020, “ilustrando bem a interoperabilidade das nossas Forças e que só a qualidade superior dos nossos recursos humanos e procedimentos continua a assegurar”, como referiu a Secretária de Estado da Defesa Nacional.
Pela primeira vez, uma equipa de mergulhadores integrou esta missão, dando à Força a valência de inativação de engenhos explosivos, guerra de minas e apoio a operações anfíbias, que mereceu o reconhecimento das autoridades lituanas, como o Ministro da Defesa Nacional, João Gomes Cravinho, teve a oportunidade de constatar quando visitou a Força ainda durante a sua missão, no final de mês de agosto, altura em que já tinha participado na desativação de uma mina da II Guerra Mundial, que se encontrava a apenas três quilómetros do porto de Klaipeda.
Na cerimónia de boas-vindas aos 146 militares portugueses, estiveram presentes, além da Secretária de Estado da Defesa Nacional, o Chefe do Estado-Maior da Armada, Almirante Mendes Calado, entre outras entidades militares.

Partilhar
Conteúdo