Ir para o conteúdo principal

Portal da Defesa na InternetInícioComunicaçãoNotíciasDefesa Nacional apresenta Estratégia para o Ambiente, Segurança e Alterações Climáticas

25 de outubro de 2023 - Fonte: DGRDN

​A Ministra da Defesa Nacional, Helena Carreiras, presidiu no passado dia 24 à cerimónia de apresentação da Estratégia da Defesa Nacional para o Ambiente, Segurança e Alterações Climáticas, que teve lugar no Instituto de Defesa Nacional, em Lisboa.

O compromisso da Defesa Nacional com a proteção do meio ambiente foi renovado com a inscrição de um conjunto de medidas na Estratégia apresentada. As áreas de atuação definidas dão continuidade ao trabalho que tem vindo a ser desenvolvido pela Defesa Nacional ao longo dos últimos 30 anos, em prol da sustentabilidade ambiental. Através das medidas inscritas na Estratégia, a Defesa Nacional reforça também o seu compromisso em responder às principais consequências provocadas pelas alterações climáticas.
Este documento divide-se em dois grandes domínios: “Ambiente" e “Energia e Clima", para os quais foram estabelecidas sete áreas de atuação, alinhadas com as principais orientações estratégicas nacionais e internacionais, nomeadamente da ONU, OTAN e União Europeia, a serem alcançadas até 2030.

No domínio “Ambiente", a Estratégia contempla a definição de projetos e iniciativas centrados na manutenção e certificação dos sistemas de gestão ambiental de unidades militares; na prevenção da poluição do ar, solo e água e  na preservação da biodiversidade e conservação da natureza. Contempla ainda o investimento na economia circular e na salvaguarda do ambiente, através de critérios ambientais na contratação pública.

 No domínio “Energia e Clima", a Estratégia aponta para projetos e iniciativas ligados à transição energética; gestão do carbono e eficiência de recursos; assim como para os efeitos das alterações climáticas no desenvolvimento de capacidades, no planeamento estratégico da Defesa e nas atividades militares e nas operações.

O “custo da inação é sempre superior ao custo de adaptação a uma nova realidade", disse Helena Carreiras ao referir-se à frequência e intensidade crescentes de eventos climáticos extremos, que trazem consigo novos desafios ao nível das operações militares de apoio a emergências civis.

A Ministra da Defesa Nacional referiu-se ainda ao facto destes fenómenos extremos estarem a provocar mudanças profundas, ao potenciarem conflitos e crises, especialmente em Estados e regiões mais vulneráveis, levando ao aumento de fluxos de migrações forçados e à pressão crescente sobre infraestruturas críticas e recursos humanos, provocando novas situações de catástrofe e agudizando o nexo clima-segurança. Nesse sentido, “Umas Forças Armadas mais eficientes na utilização de recursos e com maior utilização de energias renováveis serão também umas Forças Armadas mais autónomas, prontas e capazes", sublinhou.    

O evento contou ainda com a realização de uma mesa-redonda subordinada ao tema “Adaptação às Alterações Climáticas e a Defesa Nacional", que reuniu um conjunto de especialistas nestas matérias, e que deu origem a um intenso debate sobre um tema que continuará a marcar forte destaque na agenda mundial.


  



Partilhar
Conteúdo