Ir para o conteúdo principal

103º aniversário da Polícia Marítima - Mensagem do Secretário de Estado da Defesa Nacional

No dia em que a Polícia Marítima celebra o seu 103º aniversário, o Secretário de Estado da Defesa Nacional, Marco Capitão Ferreira, enaltece "todos os que prestam e prestaram no passado serviço nesta instituição pelo seu empenho e profissionalismo"

Portal da Defesa na InternetDefesa NacionalComunicaçãoNotícias103º aniversário da Polícia Marítima - Mensagem do Secretário de Estado da Defesa Nacional
13 de setembro de 2022

​Enalteço todos os que prestam e prestaram no passado serviço nesta instituição pelo seu empenho e profissionalismo, indispensáveis para fazer da Polícia Marítima aquilo que ela é: uma força policial que preserva e protege o ambiente marinho e as diversas atividades ligadas ao mar, salvaguardando pessoas e bens, contribuindo para que Portugal seja cada vez mais um país com vocação e cultura marítimas.

A Polícia Marítima, ao longo da sua centenária história, cresceu e evoluiu, adaptando-se às necessidades do País que serve. Esse processo continua, como não podia deixar de ser, preparando esta força para os novos desafios que a esperam. 

A Polícia Marítima, é bom lembrá-lo, não tem apenas uma ação fiscalizadora e coerciva, mas também de permanente disponibilidade para apoiar e assistir as comunidades ribeirinhas e marítimas, nas mais diversas situações e dificuldades.

As suas estruturas locais, através das quais o Estado também garante a sua presença no território de forma descentralizada e com relevo para a coesão territorial, asseguram o apoio permanente e a segurança das populações e do País por via de uma ação, por vezes discreta, mas sempre eficiente.

Os meus parabéns à Polícia Marítima, aos militares e militarizados que nela prestam serviço, pelo prestígio e reconhecimento granjeado ao longo destes 103 anos, e que, estou certo, assim continuará. 

Reconheço a todos a dedicação, empenho e brio no cumprimento desta nobre missão tendentes ao cumprimento das leis e regulamentos aplicáveis nos espaços marítimos sob jurisdição nacional, muitas das vezes com risco da própria vida.

Aproveito ainda este ensejo para deixar uma nota de agradecimento aos homens e mulheres da Autoridade Marítima Nacional que prestaram e prestam um imprescindível apoio à população, nacional e estrangeira, durante a época balnear, bem como aos militares da Marinha que, ano após ano, reforçam a nobre missão de salvaguardar a vida, essencialmente nas praias não vigiadas, realizando dezenas de salvamentos, efetuando centenas de assistências de primeiros socorros, e colaborando ativamente na busca de crianças perdidas.​

Partilhar
Conteúdo