Forte de S. Julião da Barra

O Forte de S. Julião da Barra foi construído na segunda metade do séc. XVI, na Foz do Tejo, como um reforço da defesa da cidade de Lisboa e do seu porto, tendo sido considerado como o «Escudo do Reino»
​​​​​​​​​​

Para além da missão militar de defesa, funcionou, a partir de 1802, como colégio de educação, destinado aos filhos dos militares do Regimento de Artilharia da Corte, ali aquartelado – a génese do Colégio Militar.

Prisão durante bastante tempo, foi o cárcere de muitos presos, destacando-se o nome do General Gomes Freire de Andrade.

No início do século XX ainda mantinha uma via-férrea que passava pela ponte sobre o fosso, que servia para o transporte das pesadas munições usadas nas então novas bocas-de-fogo de costa. 

A partir de 1951, para além do serviço de faróis e artilharia de costa tem sido, desde essa data, utilizado para atos de representação dos organismos integrados na Defesa Nacional.

Em julho de 1957, foi classificada como Imóvel de Interesse Público.

O Forte de São Julião da Barra está aberto ao público nas seguintes situações:

- Visitas de grupo

- Cedência de espaços



Partilhar

Conteúdo